Olá caros leitores.

Como postado através de nosso Instagram, estivemos presentes na FIDAE 2016. Bem, mas o que é a FIDAE? É a Feria Internacional del Aire y del Espacio, ou, Feira Internacional do Ar e do Espaço. Realizada bienalmente em Santiago, capital do Chile, a feira traz mais de 600 expositores das mais diversas áreas da aviação comercial, executiva, de transporte, militar e do setor espacial.

Localizada em uma parte da base militar da Força Aérea do Chile, no Aeroporto Internacional Comodoro Arturo Merino Benítez, os expositores se dispõem em 7 grandes hangares da FACH, onde você vê desde modelos de aeronaves em escala a inúmeros tipos de armas de fogo.

Porém o que nos interessa são os aviões, não é mesmo? Um pátio de cerca de 56 mil metros quadrados está disponível para a feira em frente a estes hangares, onde ficam estáticos os mais variados tipos de aeronaves, as quais os fabricantes decidem trazer para a feira.

Começamos pelo C-27J Spartan, fabricado pelas italianas Alenia Aeronautica e Alenia Aermacchi, empresas do grupo Finmeccanica. Mesmas empresas, que junto com a brasileira Embraer, fabricaram o caça AMX.

A Força Aérea Peruana é a única operadora do exemplar até o momento na América do Sul, duas das quatro aeronaves peruanas desse tipo estavam presentes na feira. Com capacidade de operar em pistas com menos de 500 metros, o Spartan é um aeronave de robustez incrível. Site deste versátil italiano.

 

Junto aos Spartan, chegaram as aeronaves KAI KT-1 Woongbi de fabricação sul-coreana, também pertencentes a Força Aérea Peruana, na qual a variante KT-1P recebeu o designativo de Torito. Treinador básico das forças aéreas comparável ao nosso A-29 Super Tucano e ao Beechcraft T-6 Texan II, que também estavam presentes na feira. Site da Korea Aerospace Industries.

 

Como já dito, um A-29 Super Tucano da Força Aérea Chilena também estava exposto e fazia voos de demonstração ao longo do dia. Esse dispensa apresentações, não é mesmo? Site do A-29.

 

A americana Beechcraft, levou a feira o seu T-6C Texan II, versão derivada do suiço Pilatus PC-9, fabricada nos EUA para suprir a demanda da Força Aérea e também da Marinha Americana na substituição de seus respectivos treinadores básicos através do programa JPATS, que inclusive possuía o Super Tucano como um dos concorrentes. Site do T-6C.

 

O grupo Textron, holding das marcas Beechcraft, Bell, Cessna e Hawker, levou através da marca Textron AirLand o jato de ataque leve, inteligência, vigilância e reconhecimento chamado Scorpion. Com o primeiro voo ocorrido a menos de 3 anos, o Scorpion veio buscar clientes na América Latina com a proposta de um baixo custo por hora de voo. Site do Scorpion.

 

A alemã Grob Aircraft trouxe o seu G 120TP monomotor turboélice treinador e acrobático. Na América do Sul a Argentina é a única operadora, com 10 unidades em sua Força Aérea. Site desta pequena e poderosa aeronave.

 

Baseado no DA-42, a austríaca Diamond levou a feira o DA-42 MPP GUARDIAN, plataforma multiuso segundo a fabricante, o mesmo pode voar até 12 horas sem reabastecimento com um consumo de apenas 24,2 litros por hora. Com o propósito ISR (Intelligence, Surveillance and Reconnaissance), ou Inteligência, Vigilância e Reconhecimento, levantamentos geográficos e transmissões televisivas. Site da Diamond.

 

Agora confira mais fotos de Santiago e aguarde que em breve traremos mais da FIDAE para vocês!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *